Episcia cupreata: a planta-tapete que encanta com suas flores e folhas.

Escrito por:
Episcia cupreata: a planta-tapete que encanta com suas flores e folhas.

A Episcia cupreata, também conhecida como violeta de chama, é uma planta herbácea, trepadeira e estolonífera, nativa de florestas tropicais da América do Sul, especialmente do Brasil, Colômbia e Venezuela.

Anúncios

Ela pertence à família Gesneriaceae, a mesma da violeta-africana, e é muito apreciada por jardineiros e colecionadores de todo o mundo, por seu fácil cultivo, bela folhagem e floração.
Imagem: kebun_dita

Características da Episcia cupreata

Originária das florestas tropicais da América Central e América do Sul, a Episcia Cupreata é conhecida por suas folhas vibrantes e padrões marcantes que se assemelham a corações em miniatura.

episcia cupreata
Imagem: habitatbrasileiro

Elas são ovaladas, com pelos na superfície e nas bordas, e podem ter cores e padrões variados, desde um verde escuro até um cobre brilhante, passando por tons de vermelho, roxo e prata.

Anúncios

Floração

As flores da Episcia Cupreata são tubulares, com cinco pétalas arredondadas, e podem ser vermelhas, rosas, brancas, amarelas ou lilases. Elas surgem durante todo o ano, mas principalmente na primavera e no verão.

Como cultivar?

A Episcia cupreata pode ser cultivada como forração em jardins tropicais, formando um tapete colorido e florido. Ela também pode ser usada em vasos, canteiros de flores, cestas suspensas ou terrários, como planta ornamental de interior ou de varanda.

Anúncios

Exposição ao sol

A Episcia cupreata é uma planta de meia-sombra, que prefere ambientes bem iluminados, mas sem sol direto. A exposição a luz direta do sol pode danificar suas folhas brilhantes.

Substrato e adubação

A variedade prefere um solo bem drenado e rico em matéria orgânica. Já a adubação pode ser feita a cada 15 dias, com um fertilizante líquido balanceado, diluído na água de rega.

Anúncios

Propagação

A propagação da Episcia cupreata pode ser feita por sementes ou por estacas dos estolões (caules rastejantes que emitem raízes e brotos).

1- Sementes

Ao propagar por suas sementes, elas devem ser semeadas em um recipiente com substrato úmido e cobertas com uma camada fina de areia. A germinação ocorre em cerca de 30 dias.

Anúncios

2- Estacas

A propagação por estacas deve ser realizada através do corte de cerca de 10 cm de comprimento da espécie e cultivada em outro recipiente com substrato úmido. O enraizamento acontece em cerca de 15 dias.

Veja Também