Afelandra (Aphelandra squarrosa): características e guia para seu cultivo.

Escrito por:

A afelandra (Aphelandra squarrosa) é uma planta ornamental que se destaca pelas suas folhas verdes com nervuras brancas e pelas suas inflorescências amarelas ou vermelhas.

Anúncios

Ela é originária da América Central e do Sul, onde cresce em florestas tropicais úmidas e pertence à família das acantáceas, que reúne cerca de 250 gêneros e 2500 espécies de plantas, muitas delas com valor ornamental.

Origem da afelandra

A afelandra é nativa das regiões tropicais da América Central e do Sul, especialmente do México, Guatemala, Honduras, Costa Rica, Panamá, Colômbia, Venezuela, Brasil e Peru. Ela cresce em áreas de floresta úmida, sombreada e rica em matéria orgânica. Na natureza, ela pode atingir até 2 metros de altura e formar grandes touceiras.

afelandra
Imagem: florindaematildo

Seu nome científico Aphelandra squarrosa vem do grego aphelis, que significa “simples”, e andros, que significa “macho”, referindo-se às flores masculinas que não possuem corola. O nome popular afelandra vem do tupi-guarani afe-landira, que significa “flor amarela”.

Anúncios

Características da afelandra

A aphelandra s. é uma planta herbácea perene, que possui caules eretos e ramificados. As folhas são opostas, ovaladas, coriáceas, com margens serrilhadas e nervuras brancas ou prateadas. Elas podem medir até 30 cm de comprimento e 10 cm de largura. A parte inferior das folhas é avermelhada.

afelandra
Imagem: ala_30_

As flores são pequenas, tubulares, de cor amarela ou vermelha, reunidas em espigas terminais que podem chegar a 20 cm de comprimento. As brácteas que envolvem as flores são coloridas e vistosas, dando um aspecto exótico à planta. A floração ocorre principalmente no verão e no outono, mas pode se estender por todo o ano em condições favoráveis.

Anúncios

Cultivo da afelandra

Exposição a luz

A jardinista Flávia Kremer indica que a afelandra pode ser cultivada tanto em locais de sombra e meia-sombra , pois o sol direto pode queimar as suas folhas. Tal característica que faça com que ela seja muito procurada para ser cultivada em ambientes internos com bastante luminosidade, sem luz direta do sol.

Rega

A afelandra gosta de solo úmido, mas não encharcado. Flávia recomenda que ela seja regada somente quando o substrato se apresentar seco ao toque. Evite molhar as folhas e as flores, pois isso pode favorecer o aparecimento de fungos.

Anúncios

Substrato

Opte pelo uso de um substrato leve, solto, drenável e rico em matéria orgânica. Você pode preparar uma mistura com partes iguais de terra vegetal, areia grossa e húmus de minhoca.

afelandra 2
Imagem: jardineiro_net

Adicione também um pouco de carvão vegetal ou pedriscos para melhorar a drenagem. Use um vaso com furos no fundo e coloque uma camada de argila expandida ou cacos de cerâmica para facilitar o escoamento da água.

Adubação

A afelandra é uma planta que exige uma boa nutrição para florescer. A jardinista recomenda que ela seja adubada com um fertilizante NPK 4-14-8, 4 vezes ao ano, sempre uma vez por estação.

Anúncios

Você também pode aplicar uma camada de composto orgânico ou esterco curtido sobre o substrato, a cada três meses, para enriquecer o substrato.

Poda

Ela não precisa de podas frequentes, apenas de limpeza para remover as folhas e as flores secas ou danificadas. Você também pode podar os ramos que ficarem muito longos ou desproporcionais, para manter a forma e o tamanho da planta.

Propagação

Sua propagação pode realizada por sementes ou por estaquia. As sementes devem ser semeadas em um recipiente com substrato úmido e mantidas em um local quente e iluminado, mas sem sol direto.

Anúncios

As estacas devem ser retiradas dos ramos mais jovens e saudáveis, com cerca de 15 cm de comprimento e algumas folhas na ponta. Remova as folhas inferiores e plante as estacas em um vaso com substrato úmido. Mantenha o vaso em um local sombreado e com alta umidade, cobrindo-o com um plástico transparente.

Pragas e doenças

A afelandra é uma planta resistente, mas pode ser atacada por pragas como cochonilhas, pulgões, ácaros e lagartas, que sugam a seiva e causam manchas, deformações e queda das folhas.

Anúncios

Para combatê-las, você pode usar inseticidas naturais ou químicos, seguindo as recomendações do fabricante. As doenças mais comuns são causadas por fungos, que provocam o apodrecimento das raízes, do caule ou das flores. Para preveni-las, evite o excesso de umidade no solo e na planta, e use fungicidas específicos se necessário.

Publicidade relacionada

Veja Também